terça-feira, outubro 22, 2013

ária para apascentar holocaustos

ela olhava para o meu silêncio
e eu era todo solidão

7 comentários:

José Carlos Sant Anna disse...

Talvez não seja de todo verdade, e o olhar dela? Era pouco? Mas um bom pretexto...
Abração,

Indigo Horizonte disse...

La soledad y el tango.

Adriane Garcia disse...

Poemas sensibilíssimos os seus. Estou muito impressionada. Acho que a maior característica de sua escrita, do pouco que ainda conheço, é a capacidade de tocar quase imediatamente. Bonito demais.

Lídia Borges disse...


Só, a dois...


Um beijo

Cecília Romeu disse...

Silêncio manhoso, esse...
coisas de sol-lidão, Assis.

Beijos!

jorge pimenta disse...

carrego o silêncio numa mão
e na outra toda a solidão.

o que sobra entre cada senão?...

Cris de Souza disse...

" Não há sol a sós."