terça-feira, agosto 20, 2013

Carrego esta perdição na palavra

Sou poeta impróprio para consumo
Meus poemas são pedaços de pele
Que se queimam em busca de alforria

9 comentários:

dade amorim disse...

Pele em busca de alforria, talvez.
Mas o poeta é dos grandes.

Beijo, Assis.

Tania regina Contreiras disse...

És poeta de "sumo". O que trazes é a essência da essência. E por isso é tudo.

Beijos, querido!

Ingrid disse...

uau... queima a pele!
beijo poeta.

José Carlos Sant Anna disse...

Alforria, mas sem que percamos o poeta.
Abraços,

Lídia Borges disse...


A arte ou a vida...


Beijo

Cecília Romeu disse...

Porque a liberdade não tem preço,
e ser livre é pensar sonhando.

Beijos!

AC disse...

Se tivesse que optar, em qualquer circunstância, a humildade seria sempre a maior das garantias.

Abraço

teca disse...

Caramba!!! Demais!!!

Beijos.

jorge pimenta disse...

por isso és poeta maior, desses que ardem completamente para logo amanhecerem intactos.

abraço!