quinta-feira, julho 25, 2013

Quase 1 verso, quase 1mg

Eu e meu amor
Não fomos felizes
Por um triz

Eu fazia poemas
Ela tomava rivotril

7 comentários:

José Carlos Sant Anna disse...

Quase, por um triz, se apaga a palavra feliz.
Abraços,

Leonardo B. disse...


[o impossível também tem o seu "qualquer coisa, o seu quê" de subtil...]


um imenso abraço, Amigo Assis

Lb

Tania regina Contreiras disse...


A calma sem a alma põe pra longe a felicidade.

Tão oportuno seu poema! :-)
Beijos,

Índigo disse...

Tristemente triz-te.

eurico portugal disse...

a tangente que quase sempre toca mais fundo...

abraço!

Cris de Souza disse...

Feliz em te reler!

André Foltran disse...

Muito bom.