quarta-feira, julho 24, 2013

Litania para rudimentos de uma antemanhã

p/Lara Amaral

Da pele quero solfejo de sílabas
Invadir de mar tua língua
Clara semente de alumbramento

Da pele quero teu branco que urge
Ondular-me neste aceso tão cedo
Deste vosso gesto febril de enlevo

5 comentários:

Tania regina Contreiras disse...


Nossa, Larinha, eu nem pisaria no chão depois desse poema: flutuaria como uma deusa! Bravo, Assis!

Lara Amaral disse...

Pois é, Tania, Assis faz isso comigo =). Muito belo! Queria eu, de fato, ser personagem desses poemas todos tão lindos que me ofereces. Beijo, Assis, obrigada mais uma vez pelo enlevo.

Adri Aleixo disse...

E eu concordo com as duas poetas, pessoas assim tão maravilhosas que nos dão a oportunidade da partilha e do alumbramento.

Beijo, Assis.
Beijo, Lara.

José Carlos Sant Anna disse...

Pois, e agora o que eu digo? Não queria fazê-lo, mas não me resta outra alternativa: um lirismo encantador para uma poeta superior = dois superlativos (poetas).
Beijo, Lara,
Abraço, Assis, conterrâneo arretado!,

eurico portugal disse...

uma brisa leve, quase impercetível, que a todos cruza: as palavras em certeza (c)lara!

abraço, assis; beijos, larinha!