sábado, julho 27, 2013

O labirinto sentimental dos versos perdidos

Em qual galáxia se prende
Os versos que te ofertei
Em qual oferenda ou prenda
Saliva a inocência
Das palavras não lidas
Porque fostes o sutil
Encanto da metáfora
Toda a sina da metonímia
A imprevista amálgama
A perdida teia da prosopopeia

9 comentários:

José Carlos Sant Anna disse...

O melhor deste labirinto é que cada um se perde pelo prazer... de se entregar às/ou ta(is)teias.
Abraços, poeta,

Joelma B. disse...

Gosto de me envolver
No tecimento de se perder!

Beijos!

Lara Amaral disse...

Sem dúvida haverá uma galáxia para nossos versos extraviados ;).

Beijo!

Índigo disse...

La galaxia de la inocencia es sin duda una de las más bellas.

Ira Buscacio disse...

ser o sutil encanto da metáfora é de se apaixonar perdidamente.
bjão, poetaço

Tania regina Contreiras disse...


Extravios criam mundos. Existimos também onde desistimos.

Bravo!

Cris de Souza disse...

Quem não se encontra na perdição?

Deu vontade de cantar:

" Sentimental eu sou,
eu sou demais... "

Beijo, mestre.

dade amorim disse...

Versos perdidos e achados!
Beijo.

jorge pimenta disse...

o limite do obstáculo sobre a infinita semântica do amor e do canto.

maravilha, assis! abraço!