domingo, julho 28, 2013

Fragmento para inexistência

Eu me descobri
Num despertencimento
Aqui jaz o eu que havia

8 comentários:

Paulo Francisco disse...

Há sempre a ressurreição.


Um grande abraço

teca disse...

Renovação que faz parte.

Beijos, poeta.

dade amorim disse...

Jaz, mas faz poemas tão bonitos!

Beijo beijo.

Tania regina Contreiras disse...


Despertencimento. Descoberta iluminada.

Beijos,

José Carlos Sant Anna disse...

Se jazz, faz um solo... que a outra virá parte para um dueto.
Abraços, poeta,

jorge pimenta disse...

o que sou e o que fui: apenas variações de uma mesma melodia.

abraço!

Luiza Maciel Nogueira disse...

e quanta presença ele se faz ao luzir em versos

bj

Ana Cecilia Romeu disse...

Descobrir o que se foi,
assim será.

Beijos, Assis!