quinta-feira, maio 09, 2013

uma palavra vazia aguava a língua


aguardo a esfinge
que trará o enigma
que me tragará 

3 comentários:

José Carlos Sant Anna disse...

É sempre a afiada a língua deste poeta.
Abr.,

Vais disse...

título muito doido

:)

beijos

eurico portugal disse...

o pior é quando somos tragados sem enigma; nem o que é parece...

abraço!