quarta-feira, maio 01, 2013

metaplagio solícito para repouso de imensidão


Nesta noite em que cada noite
é noite dentro da noite.
Invadem-me as estrelas do teu rosto
e dos teus lábios astros a brilhar.
És o orbe, o universo.
O resto é o resto, é o resto dentro da noite,
desta noite que é noite dentro de outra noite.

10 comentários:

Tania regina Contreiras disse...


Noites dentro de noites são como úteros gerando úteros. A noite é mulher. Lindo poema.

Beijos,

Caroline Godtbil disse...

Somos noite sem a luz do ser amado...
Beijos.

Eleonora Marino Duarte disse...

Uma noite onde não se dorme, sonha-se acordado o amor ideal.

lindo poeta, realmente lindo!
um beijo.

José Carlos Sant Anna disse...

Nessa profusão de noites, o relógio ainda é o melhor aliado.
Abr.,

Luiza Maciel Nogueira disse...

dentro da noite adentra a poesia de Assis, grande poeta

beijos

Lídia Borges disse...


Tão bonito!

"Invadem-me as estrelas do teu rosto
e dos teus lábios astros a brilhar."

teca disse...

Impressionantemente lindo!!!!

Beijos.

eurico portugal disse...

de novo o digo, como oração que me a-prendeu: porque à noite... há noite.

abraço, poeta!

Vais disse...

apreciantes estes metaplagios
apreciante renascer na ausência

beijo

Cris de Souza disse...

Uma palavrinha: imenso!