terça-feira, abril 02, 2013

breviário para uma etimologia das sombras


a solidão é um campo de origamis
imersão para mil grous
tempo de dobrar e desdobrar-se

12 comentários:

Joelma B. disse...

flexibilizar a voz, exercitar os sentidos!!

belo, Assis!

beijo!

Eurico disse...

Que imagem insólita, que só a poesia! As dobraduras d'alma, contrição de quem imerge e emerge, como em uma prece...

Abç cordial

José Carlos Sant Anna disse...

É a outra parte de si mesmo desgarrada junto a um gancho maior.
Abr.,

Lídia Borges disse...


"Um campo de origamis" - uma imagem para ficar.
Mutabilidade,instabilidade...Coisas de portas!


Um beijo

Tania regina Contreiras disse...

Uma imagem que se me mostra inteiramente original. E que diz tanto.

Beijos, poeta querido

teca disse...

Genial!!!

Beijos.

Jota Effe Esse disse...

A solidão, essa amiga/inimiga íntima, é capaz de tudo isso e muito mais. Meu abraço.

Vais disse...

figuras movendo sob a luz

beijo

Lídia Borges disse...


Errata

... coisas de poetas, não de "portas" ;)

Sara disse...

Seria bom ver algo mais de qualquer maneira eu não posso ser muito comparado com o monitor porque eu tenho que fazer algumas coisas e eu não sou boa visão Eu uso lentes bifocais

Andrea de Godoy Neto disse...

perfeito! adoro origamis, vamos nos dobrando e desdobrando junto, nos reinventando.
beijo

dade amorim disse...

E viva a etimologia das sombras!
Beijo beijo.