quinta-feira, abril 11, 2013

Ária de retorno ao traço de pássaros e peixes


Apenas sei da ilha uma possibilidade
Como remoto amor, ânsia de oásis
O instante árduo em tuas espáduas

O sopro que me conduz em nuvens
Este sal que incide a pele, queima
Tão atroz feito girassol em espanto

9 comentários:

Luiz Eurico disse...

A possibilidade do oásis, renova-me o espanto diante de tuas imagens...
Belíssima rima...

Abç fraterníssimo

José Carlos Sant Anna disse...

Quase percebemos os poros da palavra ainda que haja um oásis em derredor.
Abr., poeta,

Tania regina Contreiras disse...

Girassóis espantados...eu amo! :-)

Beijos

Ingrid disse...

no corpo o oásis perfeito..
beijo Assis.

Vais disse...

retorno ao traço
tão bonito!
água, areia, ar
ilhas em nuvens girando os oásis na extensão azul

beijo

dade amorim disse...

Sempre um poema tão bom de ler, Assis!

Beijo.

eurico portugal disse...

eu aqui me confesso ilha de possibilidades e impossibilidades tão remotas quanto o que levo, lembro e corro.

abraço!

Lídia Borges disse...


Um girassol atroz em espanto!

É uma imagem que "queima".


Um beijo

Cris de Souza disse...

Peixes, pássaros, pessoas- como um canto de aydar.