terça-feira, novembro 27, 2012

quase pirineus, quase andrade


Você não pode ser todos
Mas dentro do poema
Cabem uns trezentos
Uns trezentos e cinquenta
Em um verso que condensa

8 comentários:

Janice Adja disse...

Essa é a ideia. Legal!!!!
Beijos!!

Moisés Augusto Gonçalves disse...

Fantástico, meu caro!

Lídia Borges disse...


Maravilha!... Espaços poemas!

Tania regina Contreiras disse...

Verdade! :-)
Beijos,

dade amorim disse...

O poema abre as portas a tantos...
Beijo, Assis.

Lau Milesi disse...

Perfeito!!! De gênio!
Bem "condensado".
Um beijo pra você,poeta Assis.

Ira Buscacio disse...

as 1001 faces do poetaço em um só Assis!
Bjão

LauraAlberto disse...

eu repito, cabem muitos mais de mil e um

beijinho