sexta-feira, novembro 09, 2012

quando o cheiro do amor invade as retinas

há coisas tão fundas
tão fundas que
não cabem no abismo

9 comentários:

Tania regina Contreiras disse...

Ah, se há! E claro que o poeta conhece o que não cabe no abismo.
Beijos,

Mariani Lima disse...

E como há!

Jéssica do Vale disse...

Para o poeta
tudo é profundo!

Luiza Maciel Nogueira disse...

se há, espetacular!

beijos

Everson Russo disse...

O título é perfeito,,,e esse abismo da alma,,,é infinito a se conter sentimentos...abraços de bom final de semana pra ti....

Fred Caju disse...

Que sinestesia do caralho!

Joelma B. disse...

cheiro de amor... essencial!!

beijo!

Lily disse...


E a gente só pensa em se atirar.

Suzana Guimarães - Lily

Bípede Falante disse...

e olha que a gente tem uns bem grandes!!

beijoss