sábado, novembro 03, 2012

poema de esquina para quintana


você estava tão só
e eu passarinho
foi quando passou
o poeta no alazão
e gritou:
passarão, passarão
nunca mais o ninho

7 comentários:

Fred Caju disse...

Já nasceu clássico esse.

Everson Russo disse...

Bela passagem ante a solidão...abraços de sábado...

Lara Amaral disse...

O poeta fugindo a galope... não há refúgio.

Joelma B. disse...

a voz entediou-se o com voo de colibri... agora só quer saber de passeio em cavalo voador!

beijo!

Daniela Delias disse...

Fred Caju disse tudo.
O poema nasceu com uma força sem tamanho.

Lindo,

bjo

Verso Aberto disse...

agora
é voar ou voar

bela homenagem

abs Assis

dade amorim disse...

Quintana deve ter adorado,lá do céu.

Beijoss