domingo, novembro 04, 2012

poema para voz, silêncio e pálpebras cansadas


a minha dor é uma memória
rasgando o peito de vazios

3 comentários:

Felipe Terra disse...

Cada um sente a dor de uma forma...
Uns apenas a percebem outros morrem na sua presença...

Té mais Assis...

Bípede Falante disse...

dor sem fio não é dor.
dor é faca de prata, de olho, de gesto e de palavras.

beijoss

dade amorim disse...

Vazios que torturam a memória.

Beijo.