quarta-feira, outubro 17, 2012

Auto de imolação para invólucros imarcescíveis


As horas não duraram tanto quanto teu céu
A impor estrelas no bulício de mãos
O cisco dos astros nos olhos, o visgo, a cica
E aquela lua em teu seio suplicando dentes

6 comentários:

Lara Amaral disse...

Nossa! Belíssimo! =)

Everson Russo disse...

Lua que toca o seio...perfeito momento...abraços..

Tania regina Contreiras disse...

Afiadíssimo, caro Assis! Afiadíssimo.
Beijos,

dade amorim disse...

Beleza e originalidade, Assis.
Bj bj

Joelma B. disse...

como dizes: de torar!!

Beijo, Assis!

Anna Amorim disse...

"E aquela lua em teu seio suplicando dentes".

Lindo, poeta.