terça-feira, agosto 21, 2012

Poeminha de sagração à moça do sonho


Já não sonho com estrelas
Desde que teus olhos
Povoaram meu orbe
Em delicada desordem
Nem mesmo os girassóis
Atenuam a sagrada dança
Da tua aparição em bemóis
Já não sonho com estrelas
Hoje elas me percorrem
As veias em suntuosa viagem

9 comentários:

Lídia Borges disse...


Muito belo.

Ter estrelas a correr nas veias é algo mágico, mas real... Por vezes. Quando a noite morre.

Um beijo

Tania regina Contreiras disse...

Delicada desordem. Essa a minha "ordem". rs

Beijos, querido.

Vais disse...

altamente envolvente
direto na veia

beijinho, Assis

Bípede Falante disse...

mapear o DNA com estrelas devem dar mais amplidão aos sentidos da carne.
beijos, Assis!

Joelma B. disse...

quem lê, sonha!

Beijinho, Assis!

dade amorim disse...

Nem é preciso sonhar com estrelas, quando existe alguém em nossa vida.
As estrelas só inspiram.

Beijo beijo.

Daniela Delias disse...

Na veia, poetinha. Na veia.

Bjo meu

;)

Anna Amorim disse...

Revelação sonhada por tantos, poeta!

Beijos meus,

Anna Amorim

Cris de Souza disse...

Estrelar!

No orbe de assis bemóis reluzem.

Beijo, mestre*