terça-feira, agosto 14, 2012

Balada para moça com o aroma das manhãs


Ela vinha vindo
Até ficar
No sem distância

Eu parado,
Rio sem margem
Fluía em assovio

Ela vinha vindo
Até soprar
Hálito e lábio

Eu parado
Vela sem mar
Em tonto extravio

10 comentários:

Lídia Borges disse...


O movimento e a imobilidade em aproximação, neste olhar madrugada.

Um beijo

Joelma B. disse...

balada de chegada e suspiro

beijinho, Assis!

Bípede Falante disse...

Gosto desses dois :)

Tania regina Contreiras disse...

Isso é uma dança, e acaba em rodopios...:-)

Beijos,

Caroline Godtbil disse...

Que encontro lírico... mas o que me encantou mesmo foi o título: delicioso.
Poeta, quando contarei com sua presença em meu blog? Ah! Vá lá... me dê essa alegria, sim?
Beijo.

Daniela Delias disse...

"Ela vinha vindo..."

Posso ver.

Bjo

Lara Amaral disse...

Extraviada fico eu com seus rodopios aqui. Belo, poeta!

Beijo.

Cris de Souza disse...

Balada que badala!!!

dade amorim disse...

Sempre bom vir aqui e ler tuas baladas.

Beijo grande.

AC disse...

Delicioso!

Abraço