segunda-feira, agosto 13, 2012

Ária de sobressalto para futuros erros


Ainda não será hoje
Que irei colher
Os alumbramentos
Do teu olhar

Mas fito a espera
No semblante
Da aurora silente

E não me canso
De imolar este vazio
Que corrói as mãos
Em forma de nós

9 comentários:

Everson Russo disse...

Um dia esse vazio será preenchido com o brilho do olhar...abraços de boa semana.

Joelma B. disse...

vazio tem lá
o seu contento
como vão
de cata-vento

beijinho, Assis!

Tania regina Contreiras disse...

Fitar a espera...cravar os olhos nela, profundamente, Assis. Tenho feito tanto!

Beijos, querido!

Lídia Borges disse...


Ainda não será hoje,mas "um vazio em forma de nós" acabará por correr riscos, vencendo a inércia.

Beijo

Daniela Delias disse...

Joelma comentou tão bonito.
É isso.
Lindo...

Beijo, cheiro

Caroline Godtbil disse...

Há esperas que duram uma vida
Há nós que jamais desatamos de nós...
Beijo.

Adriana Riess Karnal disse...

hoje tbm estou vazia, só posso dizer que o poema preenche.

Bípede Falante disse...

Um dos mais tocantes poemas que já li...
Bonito feito nuvem.
Beijosss

AC disse...

Sentimos, ansiamos, expectamos. E damos corpo à tela.

Abraço