segunda-feira, dezembro 08, 2008

poema de segunda-feira

Não é sem assombro
que desperto enluarado
invadido por reticências
de parágrafos inteiros
na solidão da página nua

2 comentários:

Anônimo disse...

Nao seria a Liber? :--)

Abraço, Poeta!

Karinne Santiago disse...

apesar do assombro...lindo!

beijos...