terça-feira, outubro 21, 2008

CADENTE

Nada perdura mais
que o silêncio
desta poesia

e também
o seu oposto.

3 comentários:

Anônimo disse...

Valeu!

dácio jaegger disse...

O silêncio, alguém já disse, vale ouro. Abraço, companheiro. Boa semana.

loba disse...

Silêncio da poesia? ah, este eu não gosto! Mas gosto do seu oposto e do poema!
Beijo,poetinha