sexta-feira, fevereiro 14, 2014

canção à nuvem que se avizinha

ela vinha pássaro
pousar 
em meu poema

eu lhe dava
silêncio
pétala


nós éramos
um só alimento
em gestação

10 comentários:

Ira Buscacio disse...

tudo que é belo quer pousar nos poemas de Assis e ele permite pq sabe de belezas e voos.

bj, grande poetaço

jorge pimenta disse...

há palavras assim, a germinar raízes de pleno voo para se eternizarem nos céus que inventam na escrita e para além dela.

abraço, assis!

Lídia Borges disse...


São imagens de grande beleza poética!...



Um beijo

A. Everton Rocha disse...

tem coisas que não se diz quando algo tão bonito está na nossa frente.

Cris de Souza disse...

Uma senhora nuvem...

Beijo, mestre!

Tania regina Contreiras disse...


Onde andas, fulgor? Aqui, em seus versos, poetas. Sempre.

Beijos,

Indigo Horizonte disse...

A veces el vuelo es tan alto, tan grande que se le da a la caza alcance... Abrazo grande, Assis.

teca disse...

versos que se imaginam em forma e cor...

Beijo.

dade amorim disse...

Um dos mais lindos poemas feito por vc, Assis!

Beijo

Cecília Romeu disse...

Nem toda nuvem é prenúncio de temporal. Algumas moldam sentires. Esse, o pássaro que germina eternidades em letras e amores.

Beijos, Assis!