terça-feira, janeiro 21, 2014

uma sonatina para espaços exíguos

no dia que você partiu
tão cheia de versos
eu fiquei tão blue
tive que recorrer
aos florais de bach
ao sorriso da monalisa
aos anéis de saturno
ao teorema de gauss
e reler insone
o poema em linha reta
não deu em nada
no dia que você partiu
tão cheia de versos

12 comentários:

André Foltran disse...

elas se vão
tão cheias
de verso...

nos ficamos
tão cheios
de tudo

Tania regina Contreiras disse...


Você é um escândalo SEMPRE! Leitura obrigatória para alimentar minha Alma.

beijos,

José Carlos Sant Anna disse...

Como não deu em nada, e este poema tão cheio de tudo?
Abração,

Verso Aberto disse...

quem não amaria
quem parte
e deixa cheia a poesia?

abs mestre

dade amorim disse...

Que bom que consegui ler seu poema!
Já estava com medo de não consegir!

beijo

Lídia Borges disse...


A arte, pouco
para pouca vida.


Gosto do tom irónico.


Um beijo

Ira Buscacio disse...

o que faz um poeta com versos idos?
pesca
pisca
isca

bj, poetaço

Adri Aleixo disse...

Ah, tão fundo...
e eu me inundo.

Beijo!































teca disse...

Deixou foi uma baita saudade...

Beijo.

Ana Cecilia Romeu disse...

Tão belo, Assis, que trouxe o uruguaio Mário Benedetti com seu "Chau número tres" para me ajudar nas palavras... Aqui deixo na íntegra.
Beijos, poeta imenso!

Chau número tres
- Mário Benedetti -

Te dejo con tu vida
tu trabajo
tu gente
con tus puestas de sol
y tus amaneceres.

Sembrando tu confianza
te dejo junto al mundo
derrotando imposibles
segura sin seguro.

Te dejo frente al mar
descifrándote sola
sin mi pregunta a ciegas
sin mi respuesta rota.

Te dejo sin mis dudas
pobres y malheridas
sin mis inmadureces
sin mi veteranía.

Pero tampoco creas
a pie juntillas todo
no creas nunca creas
este falso abandono.

Estaré donde menos
lo esperes
por ejemplo
en un árbol añoso
de oscuros cabeceos.

Estaré en un lejano
horizonte sin horas
en la huella del tacto
en tu sombra y mi sombra.

Estaré repartido
en cuatro o cinco pibes
de esos que vos mirás
y enseguida te siguen.

Y ojalá pueda estar
de tu sueño en la red
esperando tus ojos
y mirándote.

jorge pimenta disse...

mulher-poema a acender rastos de noite sem estrelas. o mais: a dor de poeta a escalar paredes, ela tão mais do que fingimento...

abraço, assis!

Cris de Souza disse...

Sonzera!