terça-feira, agosto 06, 2013

Fragmento para o ressoar de transparências

O rumor de uma palavra me desperta
Acordo viço
Numa terna alegria de desconhecimento

6 comentários:

Leonardo B. disse...


[como as manhãs do mundo,
em movimento

por dentro da palavra.]

um imenso abraço, Assis

Lb

dade amorim disse...

Todo poema que leio, feito por vc, tem transparências - sempre muito belas.

Beijo, Assis.

José Carlos Sant Anna disse...

Despertada, revela o desconhecer para se reconhecer no desvelamento.
Abraço, poeta,

jorge pimenta disse...

translúcido como a palavra, sobretudo como o sopro que a alimenta.

abraço, assis!

Lídia Borges disse...


Brilhante como uma manhã de azul e água.

Cris de Souza disse...

Penso que essa palavra deve valer pelo todo...