quarta-feira, maio 15, 2013

fragmento para pequenas solidões II


tem um silêncio
que castiga
os meus olvidos
incessante
incessante

7 comentários:

Adri Aleixo disse...

Grande identificação com esse poema, Assis.

Um beijo grande pra você!

dade amorim disse...

Delícia, Assis!
Também me identifico com ele.

Beijo.

Lídia Borges disse...


Atento esse silêncio! Olvidos merecem castigo. ;)


Um beijo

Tania regina Contreiras disse...

Silêncios...às vezes gritam!

Beijos,

Vais disse...

fragmento que fez o peito ficar apertado

beijinho, Assis

eurico portugal disse...

como o eco... escuta-se ou adivinha-se?

abração!

José Carlos Sant Anna disse...

Cada silêncio tem a sua pausa.
Abraços