quarta-feira, maio 22, 2013

Fragmento desperto para remendo em corda de violão


Teus olhos plangiam
Era assim que te via
Quando noite era dia

8 comentários:

Lídia Borges disse...


Cada título um poema!

Os fragmentos, se nos pomos a pensar, são enormes.

Beijo

dade amorim disse...

Você é originalíssimo, Assis!

Beijo.

Ingrid disse...

Só de imaginar...
Beijo poeta

Tania regina Contreiras disse...


Luzes que rasgam a escuridão.

Beijos, poeta!

Anônimo disse...

Daria uma bela letra de um sambinha de uma nota Só (l).
Parabéns por sua criativa.
Lea Caldas Virgílio.

eurico portugal disse...

remendos para violão com olhos nas cordas: eis a noite a lamber as melo-dias.

abraço!

Adri Aleixo disse...

E eu aqui plangente...

Beijo!

José Carlos Sant Anna disse...

De íris e plangência, nasceu mais um poema.
Abr.,