sexta-feira, janeiro 18, 2013

something in the way she mov(i)es


a remota luz da manhã
ainda fere e incendeia:
a mim, a ti, a todos.

para que insistir
em sutis diferenças?

já não me basta
de tanto silêncio
quanto entoas certa canção

11 comentários:

Everson Russo disse...

O silencio muitas vezes é sábio,,mas muitas vezes machuca,,,corta fundo na alma...abraços de bom final de semana.

eurico portugal disse...

a remota luz da manhã e todo o silêncio por dentro num anoitecer que não sabe como pedir socorro.

abraço!

Janice Adja disse...

Belo!

Primeira Pessoa disse...

te leio e me lembro de paulinho pedra azul cantando recentemente em bh a aludida canção, exatemanente como ele cantava nos tempos em que era crooner de conjunto de baile...

eles faziam uma espécie de transcrição fonética, bem divertida e enganadora, o tal falso inglês... um novo idioma, quero crer.

beijão, zé de assis.

Leonardo B. disse...


[um pequeno rasto de silêncio

sombra
as sobras da melodia.]

um imenso abraço, Assis

Leonardo B.

Fred Caju disse...

Você sabe dar força ao silêncio como ele merece.

dade amorim disse...

Lindo, Assis. Os Beatles iriam gostar.
Bj.

Luis Eustáquio Soares disse...

sim, um poema "imbastável",
água de começos,
a
l

Lídia Borges disse...


Fica-se por aí, nas enterlinhas, a alinhavar encantos...


Lídia

Bípede Falante disse...

Mas eu não tinha visto essa beleza aqui :)
Oh, me derreti!!!

beijosss, Assis.

Cris de Souza disse...

Repito: tocante!