sábado, setembro 29, 2012

disdiadococinesia


à forma da árvore: distasia
à forma da nuvem: ataxia
à forma da pedra: dismetria

8 comentários:

Fred Caju disse...

Confesso, o Aurélio me salvou.

Everson Russo disse...

E a forma do amor...abstrato...abraços de sábado...

teca disse...

Oia, que loco!!!!
Tantas "ias" que nem conhecia...

Beijo carinhoso.

Lídia Borges disse...


Como é que o fascínio pelo que não compreendemos totalmente se relaciona com o indizível e o indizível com as potencialidades comunicativas da linguagem?

Lídia

dade amorim disse...

Céus, quanta dificuldade de equilíbrio!
Bj bj, Assis

Ingrid disse...

bravo!..
reflexos..
beijos Assis

Bípede Falante disse...

Assis, de uns tempos para cá, me dei conta que há nuvens fêmeas, nuvens machos.
E são tantas formas que ultrapassam as das fantasias.

Beijoss

Lau Milesi disse...

Poeta Assis, você é um gênio!

...dis bor

...dis der

...dis lines.

Um beijo pra você .