sexta-feira, agosto 03, 2012

sonatina para eflúvios de seda e pele


te olhos em arrepio
em tranças muda
réstia de ocasião
tu absurdos bela
eu tonto anfitrião

10 comentários:

Joelma B. disse...

[epidermo-te]

beijinho,Assis!

Tania regina Contreiras disse...

Poema de pele sewdenta! Beijos, poeta!

Ingrid disse...

solto sempre em teu sentir..
belíssimo Assis..
beijo

Everson Russo disse...

Beleza estonteante em versos...abraços de bom final de semana..

Vais disse...

réstia de ocasião
que seja
passando de leve
aroma, maciez
pura emanação

beijo pra ti

Eurico disse...

Um poemeto imenso, um concentrado de poesia em densidade, a emanar de ti, Vate que és, Anfitrião da poesia, Maestro, a encher os os olh/ares de Sant'ana-da-feérica-Feira, de "absurdos" prenhes de beleza.

Haja luz, Poeta!

Lara Amaral disse...

A musa deve ser mesmo bela, pois o poema é uma canção gostosa, belo demais!

Beijo.

LauraAlberto disse...

quem será a dona de teu coração?
não precisamos saber, precisamos apenas que continues...

beijo

Cris de Souza disse...

Arrepiou, mestre! Esta sonatina é daquelas que se canta ao pé do umbigo...

Beijo!

Daniela Delias disse...

tu absurdos poeta...