sábado, agosto 18, 2012

Adejar o infinito em miragem cigana II


a lâmina que corta
a nuvem vaza em rio
ou chora em mar?
ensandece a mão
que faz o rito?
e o amor risca em visgo
o laço oblíquo do olhar?

11 comentários:

Bípede Falante disse...

A lâmina que corta a nuvem machuca até o céu.

Bonito, Assis.

Muito.

Beijoss

migalhas disse...

ola , vi o seu comentário num outro blog e saí correndo para o seu blog, vendo seu magnifico espaço, adorei imenso, mas tenho um convite para fazer, se voce gostar de poesia venha visitar e dar a sua opinião aos meus poemas http://assombrado-mc.blogspot.com

teca disse...

Mão ensandecida que rasga as nuvens e vaza o amor que traz por dentro... eita poeta porreta!!!!

Beijo carinhoso.

Everson Russo disse...

E o amor sempre será esse perigoso corte...abraços de bom sábado.

Fred Caju disse...

As imagens que você coloca são sempre de chocar.

dade amorim disse...

Ao laço oblíquo do olhar alguém resiste?

Beijo, Assis.

José de Almeida disse...

esse blues,
esse blues
...


forte abraço,
irmão.

Lara Amaral disse...

Que bonito! Lembrou-me uma dança.

Beijo.

Vais disse...

mirei

beijo, Assis

Daniela Delias disse...

O bonito é ter perguntas, sempre...

bjo, bjo

Joelma B. disse...

deixo o silêncio responder...

beijinho!