segunda-feira, setembro 22, 2014

um desconcerto n’alma

ando assim, assim
não ousaria adjetivos
o tempo me interroga
e eu fico em silêncio
apenas cumpro a poesia

5 comentários:

Lídia Borges disse...


Prisão sem grades...

Bj.

Lídia

Indigo Horizonte disse...

Siempre volvemos al silencio. Cuando estamos así, así y también cuando estamos bien pero necesitamos adentrarnos en nosotros mismos.

Abrazo, Assis.

Lara Amaral disse...

Sei como é, se bem que das poucas coisas que cumpro é como você disse no poema anterior, o "pousar interstício na nuvem".

Beijo.

Tania Anjos disse...

E eu... nem poesia...

Bj, Assis.

Tania Anjos disse...

E eu... nem poesia...

Bj, Assis.