sábado, março 01, 2014

poeminha de alvíssaras

no quintal da casa
que eu comprei
financiada pelo BNH
tem um céu de prata
quando eu morrer
ela será quitada
e o céu de prata
será minha pátria

3 comentários:

dade amorim disse...

Com toda certeza, Assis!
Mas vc ainda vai muito longe!

Beijo

jorge pimenta disse...

esse céu de prata, trajando palavras e com o aroma dos versos é já há muito a tua pátria, poeta!

abraço!

José Carlos Sant Anna disse...

Este céu de prata são âncoras do infinito, poeta.
Abraços,