sexta-feira, setembro 13, 2013

Receita para provocar dessemelhanças

Não eras pássaro
Não, não eras
Mas invitava asas
E sorvia rosas
Silêncio de orvalho
Inapreensível voo


7 comentários:

Laisa disse...

Ate tento, juro.
Mas a impressão de que vc nao passa de um mero ajuntador de palavras nao sai de mim.

José Carlos Sant Anna disse...

Pois sim, acho que a poesia brota por aqui como ventos, conchas e algas no mar....
Abraço, poeta!

dade amorim disse...

Tão bonito, Assis!

Beijo pra vc

Índigo disse...

El vuelo... la huella, las alas. El cielo. Y el suelo.

Adri Aleixo disse...

Ruflar!

Beijo.

Cecília Romeu disse...

Recordei-me do maravilhoso poeta argentino Oliverio Girondo, em: no se me importa un pito.
Deixo o último fragmento:

"Yo, por lo menos, soy incapaz de comprender la seducción de una mujer pedestre, y por más empeño que ponga en concebirlo, no me es posible ni tan siquiera imaginar que pueda hacerse el amor más que volando.
"

Daniela Delias disse...

É lindo...

Fiquei tempo, tempo, tempo por aqui.
Tanta saudade.

Beijo, cheiro