segunda-feira, janeiro 07, 2013

Da série: poemas absolutamente dispensáveis

I


Ele era só concerto
Enquanto ela
Quebrava na balada

II

breve escreverei um romance
que nunca vai acabar:
será início do princípio ao fim

III

Minha hora é teu umbigo
Abrigo amigo onde fisgo



5 comentários:

Joelma B. disse...

salutar, meu caro poeta!

:)

beijo!

Primeira Pessoa disse...

esse romance, uma suite de hermeto paschoal.

abração, broda.

Luiza Maciel Nogueira disse...

clara poesia em vivo verso cotidiano, fisga o horizonte

beijos

Márcia disse...

Que legal, um dia escreverei um romence também, gostei do blog poeta...

Cris de Souza disse...

Ler-te é indispensável!