quinta-feira, dezembro 06, 2012

quase diacov, quase lorca


p/ Carla Diacov


Entre mordidas e açucenas
Lancei-te a palavra louca
Rasgou-me veias: não a boca

9 comentários:

Tania regina Contreiras disse...

A palavra louca...essa rasga e arrasta. Beijos ao poeta e à musa!

Lídia Borges disse...


Uma palavra que cala.

Beijo

Bípede Falante disse...

rasgar as veias amplia o drama e os sentidos da boca.

adorei, Assis :)

Beijoss

Leonardo B. disse...


[quantos corpos a palavra?

quanta ausência, na certeza
do corpo da palavra?]

um imenso abraço, Amigo Assis

Leonardo B.

Jota Effe Esse disse...

Essa palavra desvairada, que não pode ser contida, rasga tudo, enquanto há vida. Meu abraço.

dade amorim disse...

Beirando Lorca!

Bj

teca disse...

Que coisa louca...

Beijos.

Ira Buscacio disse...

o que não tem mais jeito de se segurar!
bj, poetaço

Joelma B. disse...

rasgar a veia... aí que a lira extravasa!

beijo!