quarta-feira, dezembro 19, 2012

Ensaio sobre a origem vermelha da rosa


Estava escrito que eu temeria tuas mãos
O florescimento da tua boca
A suntuosidade dos teus lábios
Tuas raízes atravessando-me o peito
O fogo e a ternura da tua carne
Estava escrito que eu morreria
Muitas mortes em teu cortejo de língua

7 comentários:

Lídia Borges disse...


Mais uma vez o título me faz voltar ao poema e o poema ao título e acabo descobrindo "a origem vermelha da rosa"

Carismática, a sua poesia.

LauraAlberto disse...

tu és único, não me canso de o dizer

(a árvore que cresce e destrói)

beijo

dade amorim disse...

A origem vermelha da rosa talvez tenha nascido daí...

Bj

Eurico disse...

O mais belo elogio da boca do ser amado que já li em Língua Portuguesa.

Abç cordial.

Ira Buscacio disse...

Maktub, em vermelho!
bj

Luiza Maciel Nogueira disse...

sim, lembrou-me Maktub também...

Daniela Delias disse...

Tudo lindo. A começar pelo título!

Muitos beijos!