domingo, outubro 28, 2012

o que o amor me deu



VII
o que o amor me deu:

tua palavra
teu sexo
amálgama
de quereres

VI

o que o amor me deu:

esta noite me empresta
teu olhar
para eu fazer miragem

V

o que o amor me deu:

fico parado em esquadros
na imorredoura esquina

IV

o que o amor me deu:

este lábio indelével

III

o que o amor me deu:

eu nunca fico triste
eu fico sol


II
o que o amor me deu:

tenho a natureza do limo
vivo impregnado de vazios

I
o que o amor me deu:

esta saudade de olhos
de cores, de nomes
um relato sem fim:
de mim

11 comentários:

Joelma B. disse...

não há amor que apague outro!!

Beijo!

Lily disse...


Na maioria das vezes, a gente se perde.

Suzana Guimarães - Lily

Tania regina Contreiras disse...


O amor dá sempre, enquanto tira.

Beijos, poeta.

Everson Russo disse...

Mas ele será sempre amor,,um dia alimento e no outro vazio de alma...abraços de boa semana.

Bípede Falante disse...

...
nem sei o que dizer.
talvez ... digam por mim rsrs
sei lá.
saudade é quase um veneno.
beijoss

teca disse...

O amor ainda me dá tanto, poeta...

Beijo carinhoso e uma flor.

Lara Amaral disse...

Uma série miragem... tão bonita!

Beijo.

Eleonora Marino Duarte disse...

Assis,,

bonito demais.
vou levar! :)

um beijo.

LauraAlberto disse...

o que dá e o que tira

e vira, vira

ah poeta!


Lídia Borges disse...


"eu nunca fico triste
eu fico sol"

Que lindo! O sol é, foi sempre, o meu "ser alegre"

Um beijo

dade amorim disse...

Esse amor é o que vale a pena.

bj bj