quarta-feira, julho 18, 2012

Dos poemas à espera de godot


dói-me o infortúnio n’alma
na calma pele de um gato
o medo que se manifesta
entre sina, azar e heresia

a crença para ungir o nada
a resistência entre párias
o eco de eras e never more
ódio às sextas: nunca mais

8 comentários:

Everson Russo disse...

E esse nunca mais que se faz forte e presente cortando a alma...abraços de bom dia.

Joelma B. disse...

O encanto também está no negrume!

Beijinho, Assis!

Tania regina Contreiras disse...

E eu que creio no impossível! :-)

Beijos,

Daniela Delias disse...

Adoro a intensidade do "nunca mais"...

Cheiro, poetinha ;)

teca disse...

"sina, azar e heresia"... ungindo ecos...

Beijo carinhoso.

LauraAlberto disse...

também espero muitas vezes por ele e acredito que um dia chegará, talvez...

beijo

Luiza Maciel Nogueira disse...

"eco de eras"

música pura!

beijo

Cris de Souza disse...

Preciso dizer que adorei?

Beijo, mestre!